sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Brasil supera meta dos Objetivos do Milênio da ONU de redução da mortalidade infantil



Fonte: Governo/Secom
Ilustração: Divulgação

Resultado é debatido na Organização Pan-Americana de Saúde

O Ministério da Saúde (MS) apresentou nessa quarta-feira (19), na sede da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), em Washington (EUA), os detalhes do relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), que comprovou que o Brasil já alcançou os índices de redução definidos pelas metas dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODB) em relação à mortalidade de crianças com menos de cinco anos de idade. "Atingir a meta estabelecida pela ONU antes do prazo é uma grande vitória brasileira”, diz o ministro Alexandre Padilha, que fez a apresentação durante a 28ª Conferência Sanitária Pan-Americana e da 64ª Sessão do Comitê Regional.

O acordo internacional previa a redução em 2/3 da mortalidade desse público entre 1990 e 2015. O Brasil apresentou redução de 73% das mortes na infância desde 1990. Em 2011, o órgão internacional mostra que o índice brasileiro caiu para 16 mortes a cada mil habitantes. De acordo com Padilha, essa redução se deu com a expansão da Atenção Básica no País, por meio da Estratégia Saúde da Família (ESF), e de ações preconizadas para a melhoria da atenção integral a saúde das crianças. “Mas nós queremos avançar ainda mais. Para isso, temos a Rede Cegonha que vai reforçar a qualidade no pré-natal e também a qualidade na assistência ao parto”, planeja o ministro.

Segundo o MS, foram investidos, desde o ano passado, cerca de R$ 3,3 bilhões na Rede Cegonha, que conta com a adesão de 4.759 municípios brasileiros. A estratégia, que reúne medidas que garantem assistência integral às grávidas e ao bebê, criou 348 leitos neonatais e requalificou mais 86 em 2011. A previsão é habilitar 350 novos leitos neonatais ainda neste ano. Atualmente, o Brasil conta com 3.973 leitos de UTI Neonatal e 2.249 de UTI Pediátrica. Estima-se que 91,5% do total de gestantes usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS) serão atendidas pelo programa.

Conferência - Ainda durante a Conferência, o MS vai apresentar a estratégia para prevenção e o controle das doenças não transmissíveis e levar a sua experiência brasileira para o plano das Américas.
Durante a conferência, haverá ainda debate sobre o relatório do Grupo de Experts - grupo de especialistas - sobre mecanismos inovadores para pesquisa e desenvolvimento em saúde. O que for acordado nesta reunião irá subsidiar a reunião global prevista para novembro deste ano, em Genebra.

Bolsa família melhora vida das crianças

De acordo com o relatório das Nações Unidas, o Bolsa Família é um fator para a redução da mortalidade infantil, pois toda mãe com crianças de até sete anos de idade beneficiada deve apresentar a carteira vacinal em dia e, caso a mulher esteja gestante, deve ter acompanhamento do pré-natal.

Entre outras políticas citadas está o Programa Nacional de Imunização, que conseguiu que o País eliminasse a ocorrência de diversas doenças. E o Brasil possui a maior e mais complexa rede de Banco de Leite do mundo, que conta com 208 bancos e 109 postos de coleta em todo o País.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Ana de Hollanda deixa Cultura; Marta Suplicy assume

Fonte: EXAME.com, com informações de Tânia Monteiro, da Agência Estado
Foto: Mario Rodrigues/Divulgação/Veja SP



Ela encerrou a reunião com a presidente Dilma Rousseff para tratar do assunto


Brasília - O Palácio do Planalto confirmou nesta segunda a saída de Ana de Hollanda do ministério da Cultura e o convite à senadora Marta Suplicy (PT-SP) para ocupar o cargo. Em nota oficial, a Secretaria de Imprensa informa que a presidente Dilma Rousseff convidou a senadora Marta Suplicy para assumir o ministério em substituição à artista e compositora Ana de Hollanda. A posse será realizada na próxima quinta-feira, às 11h, em solenidade no Palácio do Planalto.

Segundo a nota, a presidente "agradeceu o empenho e relevantes serviços prestados ao País" pela ministra Ana de Hollanda, que estava no cargo desde janeiro de 2011. Além disso, manifestou a confiança de que Marta, "que vinha dando importante colaboração do governo no Senado, dará prosseguimento às políticas públicas e aos projetos que estão transformando a área da cultura nos últimos anos".

O convite à Marta foi feito hoje pela manhã, por telefone, e no início da tarde a senadora voltou a conversar com Dilma para acertar o horário da posse.
Saúde DCM -  Mulheres poderão receber na rede pública vacina contra HPV

Fonte: Agência Brasil, por meio do Jornal A Tribuna 
Foto: Divulgação

Mulheres na faixa de 9 anos a 40 anos terão o direito de receber gratuitamente na rede pública de saúde a vacina contra o papilomavirus humano (HPV). O projeto de lei que prevê a medida foi aprovado nesta quarta-feira na Comissão de Assuntos Sociais do Senado e agora vai à análise da Câmara dos Deputados.

A proposta também lista os direitos da mulher durante o atendimento de prevenção do câncer de colo do útero. Atualmente a vacina é vendida na rede privada de saúde.

A autora do projeto de lei, Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), estabelece que as mulheres beneficiadas pela vacina também terão direito a receber, de profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS), esclarecimentos sobre as doenças causadas pelo vírus. Os hospitais e postos de saúde da rede pública também deverão garantir o acesso a todo e qualquer atendimento complementar necessário.